“Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido.”
SENHOR JESUS CRISTO, Lucas 12:2


terça-feira, setembro 18, 2007

A verdade sobre a Primeira Guerra Mundial

Benjamin H. Freedman



http://en.wikipedia.org/wiki/Benjamin_H._Freedman

Benjamin H. Freedman era um ex-Sionista, uma notória figura quando se trata de revisar a história. Seus relatos da Primeira Guerra Mundial, Segunda Guerra Mundial, Sionismo e as origens do dito 'Povo Judeu' é interessantíssima, seu discurso é precioso para todo aquele que quer aprender o caminho para a verdade e a justiça. O discurso foi em Washington em 1961, no Willard Hotel.

----------------------------------------------------------------------------------

Aqui nos Estados Unidos, Sionistas e seus co-religiosos tem total controle do nosso governo. Por muitas razões, muitas e muito complexas para entrar em detalhes aqui agora, os Sionistas e seus co-religiosos reinam os Estados Unidos como se eles fossem os monarcas absolutos deste país. Agora você pode dizer que esta é uma alegação muito ampla, mas deixe me mostrar o que aconteceu enquanto nós estávamos desacordados. O que aconteceu? A Primeira Guerra Mundial estourou no verão de 1914. Há algumas pessoas aqui da minha idade que se lembram disto. Agora que a guerra estava sendo travada de um lado pela Grã-Bretanha, França, e Rússia; e no outro lado pela Alemanha, Áustria-Hungria, e Turquia. Com dois anos a Alemanha tinha ganhado a guerra: não só de forma nominal, mas ganharam realmente. Os submarinos Alemães que eram uma surpresa para o mundo, varreram os comboios do Oceano Atlântico. A Grã-Bretanha estava lá sem munições para seus soldados, com suprimentos para uma semana – e após isso, fome. Ao mesmo tempo, os exércitos Franceses se revoltaram [motim]. Eles perderam 600.000 jovens na flor da idade na defesa de Verdun no Somme. O exército Russo estava desertando, eles estavam catando seus brinquedos e indo pra casa, eles não queriam brincar de guerra mais, eles não gostaram do Czar. E o exército Italiano tinha capitulado.

Nem um único tiro foi desferido em solo Alemão. Nem um único soldado havia cruzado a fronteira dentro da Alemanha. E mesmo assim, a Alemanha estava oferecendo à Inglaterra termos de paz. Eles ofereceram a Inglaterra paz negociada no que os advogados chamam de status quo ante basis. Isto quer dizer: "Vamos cessar a guerra, e deixar que tudo volte a ser como era antes da guerra". A Inglaterra, no verão de 1916 estava considerando – seriamente. Eles não tinham escolha. Era ou aceitar a paz negociada que a Alemanha generosamente oferecia, ou continuar a guerra e ser totalmente derrotada. Enquanto isto acontecia, os Sionistas na Alemanha, que representavam os Sionistas a Oeste da Europa, foram até o Escritório de Guerra Britânico e – eu vou ser breve porque é uma longa história, mas eu tenho todos os documentos que provam qualquer coisa que eu disser – eles disseram: "Veja bem. Você ainda pode ganhar esta guerra. Você não tem que desistir. Você não tem que aceitar o acordo de paz negociado oferecido a você pela Alemanha. Você pode ganhar esta guerra se os Estados Unidos entrarem como seu aliado." Os Estados Unidos não estavam na guerra à essa altura. Nós éramos fortes, nós éramos jovens; nós éramos ricos; nós éramos poderosos. Eles disseram a Inglaterra: "Nós iremos garantir a entrada dos Estados Unidos na guerra como seu aliado, para lutar com você ao seu lado, se você nos prometer a Palestina após você ganhar esta guerra." Em outras palavras, eles fizeram este acordo: "Nós iremos trazer os Estados Unidos como seu aliado. O preço que você tem de pagar é a Palestina após vencer a guerra e derrotar a Alemanha, Áustria-Hungria, e Turquia." Agora, a Inglaterra tinha tanto direito de prometer a Palestina à qualquer um, quanto os Estados Unidos tem de prometer ao Japão a Irlanda seja por qual razão for.

É absolutamente absurdo que a Grã-Bretanha, que nunca teve nenhuma conexão ou interesses ou qualquer direito no que é conhecido como Palestina a oferecê-la como moeda para pagar os Sionistas pela entrada dos Estados Unidos na guerra. No entanto, eles fizeram esta promessa, em Outubro de 1916. E pouco após disto – Eu não sei quantos aqui se lembram disto – os Estados Unidos, que era quase que totalmente pró-Alemanha, entraram na guerra como aliado da Grã-Bretanha. Eu digo que os Estados Unidos eram quase totalmente pró-Alemanha porque os jornais aqui eram controlados por Judeus, os banqueiros eram Judeus, toda a mídia de comunicações para massa neste país eram controladas por Judeus; e eles, os Judeus eram pró-Alemanha. Eles eram pró-Alemanha porque muitos deles vieram da Alemanha, e também queriam ver a Alemanha destruir o Czar, e eles não queriam que a Rússia ganhasse esta guerra. Estes Alemães-Judeus banqueiros, como Kuhn & Loeb e outras grandes firmas bancárias nos Estados Unidos se recusavam a financiar a França ou Inglaterra um dólar se quer. Eles ficaram de fora e disseram: "Enquanto a França e Inglaterra estiverem juntos com a Rússia, nem um centavo!" Mas eles jogaram dinheiro dentro da Alemanha, eles lutaram ao lado da Alemanha contra a Rússia, tentando destruir o regime Czarista.Agora estes mesmos Judeus, quando viram a possibilidade de tomar a Palestina, foram até a Inglaterra e eles fizeram este acordo.

A esta altura, tudo mudou, como um sinal de tráfego que muda de vermelho pra verde. Onde os jornais eram todos pró-Alemanha, onde eles estavam dizendo ao povo das dificuldades que a Alemanha estava tendo lutando contra a Grã-Bretanha comercialmente e em outros aspectos, de uma hora pra outra os Alemães não eram legais. Eles eram vilões. Eles eram Hunos. Eles estavam atirando em enfermeiras da Cruz Vermelha. Eles estavam cortando fora as mãos de bebês. Eles não eram legais. Pouco depois disto, Sr. Wilson declarou guerra a Alemanha. Os Sionistas em Londres entraram em contato com os Estados Unidos, com Justice Brandeis, dizendo "Vá trabalhando no Presidente Wilson. Nós estamos conseguindo da Inglaterra o que nós queremos. Agora vá trabalhar no Presidente Wilson e traga os Estados Unidos para a guerra." Foi assim que o Estados Unidos entraram na guerra. Nós não tínhamos mais interesses nisto; nós não tínhamos mais direito de estar nesta do que estar na lua hoje ao invés desta sala. Não havia absolutamente nenhuma razão para a Primeira Guerra Mundial ser nossa guerra. Nós fomos despejados nela – se eu posso ser vulgar, nós fomos sugados pra dentro dela – esta guerra era meramente para que os Sionistas do mundo pudessem obter a Palestina. Isso é algo que o povo dos Estados Unidos nunca ficaram sabendo. Eles nunca souberam o porque nós entramos na Primeira Guerra Mundial.

Após termos entrado nesta guerra, os Sionistas foram até a Grã-Bretanha e disseram: "Bom, nós fizemos nossa parte do acordo. Deixe nos ter algo em escrito que mostre que você vai manter sua palavra e nos dar a Palestina após você ganhar a guerra." Eles não sabiam se a guerra iria durar mais um ano ou dez anos. Então eles começaram a elaborar uma receita. A receita tomou a forma de uma carta, que foi codificada em uma linguagem bem encriptada para que o mundo não soubesse do que se tratava. E esta foi nomeada a Declaração de Balfour. A Declaração de Balfour era meramente a promessa da Grã-Bretanha de pagar os Sionistas o que eles tinham em acordo para trazer os Estados Unidos à guerra. Então esta era a Declaração de Balfour, que você ouve tanto falar, é tão falsa quanto uma nota de três dólares. Eu não sei como eu poderia enfatizar mais que isso. Foi aí que o problema todo começou. Os Estados Unidos entraram na guerra.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Declara%C3%A7%C3%A3o_de_Balfour

Os Estados Unidos esmagaram a Alemanha. Você sabe o que aconteceu. Quando a guerra terminou, e os Alemães foram para Paris para a Conferência de Paz de Paris em 1919 lá estavam 117 Judeus, como representantes da delegação representando os Judeus, dirigidos por Bernard Baruch. Eu estava lá. Eu deveria saber. Agora o que aconteceu? Os Judeus nesta conferência de paz, quando eles estavam repartindo a Alemanha e parcelando a Europa a todas estas nações que clamaram o direito por uma parte do território Europeu, disseram, "Que tal a Palestina para nós?" E eles produziram, pela primeira vez para conhecimento dos Alemães, esta Declaração de Balfour. Então os Alemães, pela primeira vez entenderam, "Oh, então esta era a jogada! Então foi por isso que os Estados Unidos entraram na guerra."

Os Alemães pela primeira vez perceberam que eles foram derrotados, eles sofreram terríveis reparações que foram solapadas neles, porque os Sionistas queriam a Palestina e estavam determinados a consegui-la a qualquer custo. E isto nos leva à outro ponto muito interessante. Quando os Alemães entenderam, eles naturalmente ressentiram. Até este ponto, os Judeus nunca estiveram tão bem em qualquer outro país no mundo do que eles estiveram na Alemanha. Você tinha lá o Sr. Rathenau, que talvez fosse 100 vezes mais importante na indústria e finanças como Bernard Baruch é neste país. Você tinha o Sr. Balin, que possuía as duas linhas de navio à vapor, a Lloyd do Norte da Alemanha e a linha Hamburgo-América. Você tinha o Sr. Bleichroder, que era o banqueiro para a família Hohenzollern. Você tinha os Warburgs em Hamburgo, que eram os grandes banqueiros mercantis – os maiores do mundo. Os Judeus estavam se dando muito bem na Alemanha. Sem nenhuma dúvida disto. Os Alemães sentiram: "Bem, esta foi uma traição." Foi uma traição que talvez possa ser comparável com uma situação hipotética: Suponhamos que os Estados Unidos estivessem em guerra com a União Soviética. E nós estivéssemos ganhando. E nós disséssemos á União Soviética: "Bem, vamos desistir: Nós oferecemos termos de paz. Vamos esquecer toda essa coisa." E de uma hora pra outra a China Comunista entra na guerra com uma aliada da União Soviética. E jogando-os na guerra nos trouxe a nossa derrota.

Uma derrota esmagadora, com reparações das quais a imaginação do homem não pode conceber. Imagine, que após esta derrota, se nós descobríssemos que foram os Chineses deste país, nossos cidadãos Chineses, que o tempo todo nós pensávamos fossem leais trabalhando conosco, estavam nos entregando para a União Soviética e por eles que a China Comunista foi trazida para a guerra contra nós. Como nós nos sentiríamos, então, nos Estados Unidos para com os Chineses? Eu não acredito que um deles se quer iria dar as caras em qualquer rua que fosse. Não iria haver convenientemente um número de postes para cuidar deles. Imagine como nós nos sentiríamos. Bem, foi assim que os Alemães se sentiram em relação aos Judeus. Eles tinham sido tão bons com eles: desde 1905 em diante, quando a primeira revolução Comunista na Rússia falhou, e os Judeus tiveram que fugir da Rússia, todos eles foram para a Alemanha. E a Alemanha os deu refúgio. E eles foram bem tratados. E aqui eles jogaram a Alemanha pela descarga por razão alguma se não fosse o fato de que eles queriam a Palestina como uma grande "Comunidade Judaica".

Agora Nahum Sokolow, e todos os grandes líderes e grandes nomes que você leu sobre em conexões com o Sionismo hoje, em 1919, 1920, 1921, 1922, e 1923 escreveram em todos os seus jornais – e a imprensa estava preenchida com seus dizeres – que o sentimento contra os Judeus na Alemanha era devido ao fato que eles perceberam que sua grande derrota foi causada por interferência Judaica na trazida dos Estados Unidos para a guerra. Os Judeus mesmos assumiram isto. Não era o porque em 1919 os Alemães descobriram que um copo de sangue Judeu era mais gostoso do que Coca-Cola ou de cerveja Muenschner. Não havia nenhum ressentimento religioso. Não havia ressentimento contra este povo em suas crenças religiosas. Era totalmente político. Era econômico. Não era nada religioso. Ninguém se importava na Alemanha se um Judeu ia para casa e fechava as cortinas e dizer "Shema’ Yisroel" ou "Nosso Pai". Ninguém se importava na Alemanha tanto quanto ninguém se importa nos Estados Unidos. Agora este sentimento que se desenvolveu depois na Alemanha era devido à uma única coisa: os Alemães os consideravam culpados pela sua esmagadora derrota.

E a Primeira Guerra Mundial foi iniciada contra a Alemanha por nenhuma razão de sua responsabilidade. Eles não eram culpados de nada. Somente de serem bem sucedidos. Eles construíram uma grande frota naval. Eles fizeram comércio mundial. Você deve se lembrar que a Alemanha a este tempo da Revolução Francesa consistia de 300 pequenas cidades, principados, ducados, e daí em diante. Três centenas de entidades políticas individuais. E entre esse período de Napoleão e Bismarck, eles foram consolidados em um único estado. E com 50 anos eles se tornaram uma das maiores potências mundiais. Sua frota já rivalizava a Britânica, eles estavam fazendo negócios no mundo inteiro, eles podiam competir em preços com qualquer um, eles podiam fazer melhores produtos. O que aconteceu em resultado disto? Houve uma conspiração entre a Inglaterra, França, e Rússia para solapar a Alemanha. Não há um único historiador no mundo que pode encontrar uma razão válida no porque estes três países decidiram varrer a Alemanha do mapa politicamente.

Quando os Alemães entenderam que os Judeus eram responsáveis por sua derrota, eles naturalmente ressentiram. Mas nem um único fio de cabelo na cabeça de um Judeu foi tocado. Nem um único fio. O Professor Tansil, da Universidade de Georgetown, que tinha acesso à todos os papeis secretos do Departamento do Estado, escreveu em seu livro, e citou de um documento do Departamento do Estado escrito por Hugo Schoenfelt, um Judeu no qual Cordell Hull enviara a Europa em 1933 para investigar os tão falados campos de prisioneiros políticos, o qual relatou que eles os encontrara em condições muito boas. Eles estavam em excelente estado, com todos bem tratados. E eles estavam cheios de Comunistas na Europa a esta altura. E havia lá alguns padres, e ministros, e líderes de trabalho, e Maçons, e outros que possuíam afiliações internacionais.

Alguns fatos passados estão em ordem: Em 1918-1919 os Comunistas tomaram a Bavária por alguns dias. Rosa Luxemburg e Karl Liebkncht e um grupo de Judeus tomaram o governo por três dias. De fato, quando o Kaiser terminou a guerra ele fugiu para a Holanda porque ele pensou que os Comunistas iriam tomar a Alemanha da mesma forma como fizeram na Rússia e que ele iria ter o mesmo destino que o Czar. Então ele fugiu para a Holanda em refúgio. Após a ameaça Comunista na Alemanha ter sido esmagada, Judeus ainda estavam trabalhando, tentando voltar ao estado anterior, e os Alemães lutavam de toda forma possível sem tocar um só fio de cabelo na cabeça de ninguém.

Eles os combateram da mesma forma, que neste país, as proibições impostas contra qualquer um interessado em licor. Eles não combateram outros com pistolas. Bem, esta era forma como nós estávamos combatendo os Judeus na Alemanha. E a esta altura, vale notar, haviam de 80 a 90 milhões de Alemães, e nós éramos somente 460.000 Judeus. Cerca de metade um por cento da população da Alemanha eram Judeus. E mesmo assim eles controlavam toda a imprensa, e eles controlavam grande parte da economia pois eles vieram com dinheiro fácil quando o Marco estava desvalorizado e eles compraram praticamente tudo. Os Judeus tentaram segurar estes fatos. Eles não queriam que o mundo inteiro entendesse corretamente que eles haviam entregado a Alemanha, e que os Alemães ressentiram isto. Os Alemães tomaram ações apropriadas contra os Judeus. Eles, devo dizer, discriminaram contra eles em todos lugares possíveis. Eles os evitaram. Da mesma forma que nós iríamos evitar os Chineses, ou os Negros, ou os Católicos, ou qualquer um neste país que tivesse nos entregado para um inimigo e causado nossa derrota. Pouco após, os Judeus do mundo organizaram um encontro em Amsterdã. Judeus de todos os países do mundo participaram neste encontro em Julho de 1933. E eles disseram para a Alemanha: "Vocês dispensem Hitler, e vocês coloquem cada Judeu em seu lugar anterior, tanto faz se ele for Comunista não importa o que. Vocês não podem nos tratar desta forma. E nós, os Judeus do mundo, estamos lhe impondo um ultimato." Você pode imaginar o que os Alemães os disseram. Então o que nós Judeus fizemos?

Em 1933, quando a Alemanha recusou a se entregar na conferência mundial de Judeus em Amsterdã, a conferência se desmanchou, e o Sr. Samuel Untermyer, que era diretor da delegação Americana e o presidente de toda a conferência, veio aos Estados Unidos e do barco para os estúdios da Columbia Broadcasting System fez uma transmissão de rádio por todo os Estados Unidos que dizia, "Os Judeus do mundo agora declaram uma Guerra Sagrada contra a Alemanha. Nós estamos engajados em um conflito sagrado contra os Alemães. E nós iremos vence-los pela fome. Nós iremos fazer uso de um boicote mundial (ver capa do jornal mais abaixo) contra eles. Isto os irá destruir porque eles são dependentes em negócios de exportação." E isto é um fato de que dois terços do suprimento alimentar da Alemanha tem de ser importados, e só podem ser importados com ganhos da exportação. Então se a Alemanha não pode exportar, dois terços da população Alemã iria morrer de fome.

Havia lá nem o suficiente em alimento para mais de um terço da população. Agora nesta declaração, que eu tenho aqui, e que foi impressa no New York Times em 7 de Agosto de 1933, Sr. Samuel Untermyer ousadamente dizia isto "...este boicote econômico é o nosso meio de defesa. O Presidente Roosevelt advogou seu uso na Administração de Recuperação Nacional," no qual alguns de vocês devem se lembrar, onde todos tinham de ser boicotados a não ser que seguissem as regras estabelecidas pelo New Deal, e no qual foi declarado inconstitucional pela Corte Suprema desta época. Não menos, os Judeus do mundo declararam um boicote contra a Alemanha, e isto foi tão eficiente que você não podia achar nada em nenhuma loja do mundo com as palavras "produzido na Alemanha" nele.

De fato, um executivo da Companhia Woolworth me disse que eles tiveram que jogar rio abaixo, louças e pratos valendo milhões de dólares, que suas lojas eram boicotadas se alguém viesse e encontrasse um prato escrito nele "produzido na Alemanha," eles eram pregados com placas dizendo "Hitler," "assassino," e daí em diante, algo como esses protestos que estão acontecendo no Sul. Em uma loja pertencendo a liga R. H. Macy, que era controlada por uma família chamada Strauss que também era Judia, uma mulher encontrou meias lá que vieram de Chemnitz, escritas "produzidas na Alemanha." Bem, eram meias de algodão e elas deviam estar lá por uns 20 anos, desde então eu tenho observado as pernas das mulheres e faz tempo que eu não vejo nenhuma meia de algodão nelas. Eu vi a Macy boicotada, com centenas de pessoas passando em volta com placas dizendo "assassinos," "Hitleristas," e daí em diante. Até este tempo, nenhum único fio de cabelo na cabeça de um Judeu havia sido tocado na Alemanha. Não havia sofrimento, não havia fome, não havia assassinato, não havia nada. Naturalmente, os Alemães se perguntaram, "Quem são estas pessoas para declararem um boicote contra nós e manter todo nosso povo sem trabalho, fazerem nossas indústrias ficarem paralisadas? Quem eles pensam que são para nos fazerem isto?" Eles naturalmente ressentiram isto. Certamente eles pintaram Suásticas nas lojas dos Judeus. Porque deveria um Alemão dar o dinheiro para um vendedor que fazia parte do boicote que iria matar a Alemanha e fazê-la se render para os Judeus do mundo, que iriam ditar quem iria ser seu premier ou chanceler? Bem, isto era ridículo. O boicote continuou por um tempo, mas não até 1938, quando um jovem Judeu da Polônia (Herschel Grynszpan) fora até a embaixada Alemã em Paris e atirara em um diplomata Alemão, nessa os Alemães realmente começaram à ser rígidos com os Judeus na Alemanha. E você os encontrava então quebrando janelas e tendo brigas de rua e daí em diante. Agora eu não gosto de usar a palavra "Anti-Semitismo" porque ela não significa nada, mas mesmo assim significa algo para vocês, então eu terei de usar.

A única razão que havia para um sentimento na Alemanha contra Judeus era o porque eles eram responsáveis pela Primeira Guerra Mundial e pelo boicote mundial. Por último eles também foram responsáveis pela Segunda Guerra Mundial, porque após isto sair do controle, era absolutamente necessário para os Judeus na Alemanha agarrarem-se a uma guerra para ver qual deles iria sobreviver. Enquanto isto, eu tinha vivido na Alemanha, e eu sabia que os Alemães haviam decidido se a Europa iria ser Cristã ou Comunista: não havia meio termo. E os Alemães decidiram que eles iriam mantê-la Cristã se possível. E eles começaram à se re-armar. Em Novembro de 1933 os Estados Unidos reconheceram a União Soviética.

A União Soviética estava se tornando muito poderosa, e a Alemanha notou isto "Nossa vez vai chegar logo, a não ser que sejamos fortes." O mesmo que nós neste país estamos dizendo hoje, "Nossa vez vai chegar logo, a não ser que sejamos fortes." Nosso governo está gastando 83 ou 84 bilhões de dólares em defesa. Defesa contra quem? Defesa contra 40.000 pequenos Judeus em Moscou que tomaram a Rússia, e então, em seu jeito diabólico, tomaram controle de muitos outros países do mundo.

Pois este país está a beira de uma Terceira Guerra Mundial, da qual não pode se erguer um vencedor, é algo que estagna minha imaginação. Eu sei que bombas nucleares são medidas em termos de megatons. Um megaton é um termo usado para descrever 1 milhão de toneladas de TNT. Nossas bombas nucleares possuem uma capacidade de 10 megatons, ou 10 milhões de toneladas de TNT, quando elas foram desenvolvidas no inicio. Agora, as bombas nucleares que estão sendo desenvolvidas possuem uma capacidade de 200 megatons, e Deus sabe lá quantos megatons as bombas nucleares da União Soviética tem. Com o que nos deparamos agora? Se nós iniciarmos uma guerra mundial agora que possa se transformar em uma guerra nuclear, a humanidade está acabada. Porque tal guerra teria de acontecer? Ela acontecerá enquanto a cortina subir no Ato 3: Ato 1 foi a Primeira Guerra Mundial, Ato 2 foi a Segunda Guerra Mundial, Ato 3 será a Terceira Guerra Mundial. Os Judeus do mundo, os Sionistas e seus co-religiosos em todo lugar, estão determinados que eles novamente irão usar os Estados Unidos para ajudá-los permanentemente a manter a Palestina como sua estaca para seu governo mundial. Isto é tão verdade quanto eu estou em pé aqui. Não só eu li isso, mas muitos aqui leram isto, e é sabido em todo o mundo. O que nós iremos fazer? A vida que você salva pode ser a do seu filho. Seus filhos podem estar à caminho da guerra hoje; e você não sabe mais do que sabia em 1916 quando em Londres os Sionistas fizeram este acordo no Escritório de Guerra Britânico para enviar seus filhos para guerra na Europa. Você sabia disto na época? Nem uma única pessoa nos Estados Unidos sabia disto. A você não era permitido saber. Quem sabia disto? O Presidente Wilson sabia. Coronel House sabia. Outros de dentro sabiam.

E eu sabia? Eu tinha uma boa noção do que estava acontecendo: Eu era interveniente para Henry Morgenthau, na campanha de 1912 quando o Presidente Wilson foi eleito, e havia discussões no escritório lá. Eu era o "homem confidente" para Henry Morgenthau, que era diretor do comitê de finanças, e eu era interveniente entre ele e Rollo Wells, o tesoureiro. Então eu me sentava nestes encontros com Presidente Wilson se sentando à ponta da mesa, e todos os outros, e eu os ouvia martelando na cabeça do Presidente Wilson a graduada taxa de impostos e o que tinha sido feito da Reserva Federal, e eu os ouvia doutrinando-o com o movimento Sionista.

Justice Brandeis e Presidente Wilson eram tão chegados quantos estes dois dedos na minha mão. Presidente Woodrow Wilson era tão incompetente quando se tratava de determinar o que estava acontecendo quanto um bebê recém-nascido. Foi assim que eles nos jogaram na Primeira Guerra Mundial, enquanto nós dormíamos. Eles enviaram nossos garotos lá para serem estraçalhados. Para que? Para que os Judeus tivessem sua Palestina como sua "comunidade." Eles enganaram vocês de tal forma que você não sabia se tava chegando ou indo embora. Agora qualquer juiz, quando ele registra um jurado, diz, "Senhores, qualquer testemunho que ache que você achar ter dito uma única mentira, você pode ignorar todo seu testemunho." Eu não sei de que estado vocês vem, mas no estado de Nova York esta é a forma na qual um juiz se dirige ao jurado. Se esta testemunha disse uma única mentira, ignore seu testemunho.

Quais são os fatos sobre os Judeus? (Eu os chamo de Judeus para vocês, pois eles são conhecidos como Judeus. Eu não os chamo de Judeus. Eu me refiro à eles como tão-conhecidos Judeus, porque eu sei o que eles são.) Os Judeus do Oeste Europeu, que formam 92 por cento da população do mundo deste povo no qual se consideram Judeus, eram na verdade Khazares. Eles eram uma tribo de guerra que vivia bem no fundo no coração da Ásia. E eles eram tão de guerra que até mesmo os Asiáticos os dirigiram para fora da Ásia para o Oeste da Europa. Eles formaram um vasto império Khazar de 800.000 milhas quadradas. Nesta época, a Rússia não existia, nem muitos outros países Europeus. O império Khazar era o maior país em toda Europa – tão grande e tão poderoso que quando outros monarcas queriam ir para a guerra, os Khazares os emprestavam 40.000 soldados. Isso é o quão grande e poderoso eles eram. Eles eram veneradores fálicos, o que é indecente e eu não quero entrar em detalhes disto agora. Mas esta era a sua religião, assim como era a religião de muitos outros pagãos e bárbaros em muitos lugares do mundo. O rei Khazar se tornou tão enojado com a degeneração do seu reino que ele decidiu adotar uma tão conhecida fé monoteísta – também o Cristianismo, Islã, ou o que é conhecido hoje como Judaísmo, que na verdade é Talmudísmo. Rodando uma roleta, e dizendo "eeny, meeny, miney, moe," ele escolheu o suposto Judaísmo. E esta se tornou a religião do Estado. Ele foi até escolas Talmúdicas de Pumbedita e Sura e trouxe milhares de rabinos, e abriu sinagogas e escolas, e seu povo se tornou o que nós chamamos de Judeus. Não havia um único deles que tivesse um ancestral que se quer pisou na Terra Santa. Não só na história do Antigo Testamento, mas lá trás no inicio dos tempos.

Nem um único deles! E mesmo assim eles chegam nos Cristãos e os pedem para apoiar suas insurreições armadas na Palestina dizendo, "Você quer ajudar repatriar o Povo Escolhido de Deus à sua Terra Prometida, sua terra natal, não quer? É seu dever de Cristão. Nós os demos um dos nossos garotos como seu Senhor e Salvador. Hoje em dia você vai à igreja no Domingo, e você se ajoelha e louva um Judeu, e nós somos Judeus." Mas eles são Khazares pagãos que se converteram assim como os Irlandeses. É tão ridículo chamá-los de "povo da Terra Santa," da mesma forma como seria chamar 54 milhões de Muçulmanos Chineses de "Árabes." Mohammed só morreu em 620 A.D., e desde então 54 milhões de Chineses aceitaram o Islã como sua crença religiosa. Agora imagine, na China, 2,000 milhas da Arábia, de Mecca e do local de nascimento de Mohammed. Imagine se 54 milhões de Chineses decidissem se intitularem "Árabes." Você iria dizer que eles são lunáticos. Qualquer um que acredite que estes 54 milhões de Chineses são Árabes só podem estar loucos. Tudo o que eles fizeram foi adotar uma fé religiosa uma crença que teve suas origens em Mecca, na Arábia. A mesma dos Irlandeses. Quando Irlandeses se tornaram Cristãos, ninguém os jogou no oceano e os importou para a Terra Santa uma nova leva de habitantes. Eles não se tornaram um povo diferente, mas eles aceitaram Cristianismo como crença religiosa. Estes Khazares, estes pagãos, estes Asiáticos, estes Turco-Finlandeses, eram uma raça Mongolóide que foram expulsos da Ásia para dentro do Oeste da Europa, porque seu rei adquiriu a fé Talmúdica, eles não tinham escolha nesta questão. Da mesma forma na Espanha: Se o rei fosse Católico, todos tinham de ser Católicos.

Se não, você tinha que se mandar da Espanha. Então os Khazares se tornaram o que nós chamamos hoje de Judeus. Agora imagine o quão tolo seria os grandes países Cristãos dizerem, "Nós iremos usar de nosso poder e prestígio para repatriar o Povo Escolhido de Deus sua terra natal, sua Terra Prometida." Poderia existir uma mentira maior que esta? Porque eles controlam os jornais, as revistas, a rádio, a televisão, as editoras de livros, e porque eles tem os ministros no púlpito e os políticos nas saboneteiras falando a mesma língua, não é de surpreender que você acredite nesta mentira. Você iria acreditar que preto é branco se você ouvisse isto freqüentemente. Você não iria chamar preto de preto mais – você chamaria preto, branco. E ninguém poderia culpá-lo. Esta é uma das maiores mentiras da história. É a fundação de toda miséria que desgraçou o mundo.

Você sabe o que os Judeus fazem no Dia da Expiação, o qual você acredita que é tão sagrado para eles? Eu era um deles. Isso não é um boato. Eu não estou aqui para ser arruaceiro. Eu estou aqui para lhe dar fatos. No Dia da Expiação, você entra em uma sinagoga, você fica de pé para toda primeira reza que você faz. É a única reza no qual você fica de pé. Você repete três vezes uma pequena reza chamada Kol Nidre. Nesta prece, você entra em acordo com Deus o Poderoso que qualquer promessa, voto ou juramento que você faça nos próximos doze meses devam ser nulos ou vazios. A promessa não deverá ser promessa; o voto não deverá ser um voto; o juramento não deverá ser um juramento. Elas não deverão ter força ou efeito. E mais, o Talmud ensina que sempre que você fizer uma promessa, voto ou juramento, você deve se lembrar da prece do Kol Nidre que você fez no Dia da Expiação, e você está isento de cumpri-las. O quanto você pode depender de sua lealdade? Você pode depender de sua lealdade tanto quanto os Alemães dependiam em 1916. Nós iremos sofrer o mesmo destino que os Alemães sofreram, e pela mesma razão.

37 comentários:

Anônimo disse...

seu nazista filho da puta vo é denunciar pra policia federal seu racista de merda

Anônimo disse...

Eu prefiro não ver esse tipo de comentário no seu blog. Somos agredidos por esses psicopatas em todos os lugares onde seu sujo dinheiro manda. Aqui também?

Anônimo disse...

mto bom seu blog... eh bom ver q ainda temos kamaradas politizados capazes de demonstrar ao inimigo q enquanto existir sequer um kamarada com conhecimento e coragem, a guerra nao estará perdida.. parabens kamarada 14 88!

Anônimo disse...

os mesmos elementos esquerdistas/oportunistas q defendem a liberdade de expressão, são os primeiros a condenar quaisquer tipos de manifestação de diferentes tipos de opiniões em relação a uma "verdade" histórica.

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog kamarada continue mostrando a verdade HH !

Anônimo disse...

Esse primeiro comentário é absurdo, são eles q defendem a liberdade de expressão? Eu entendo q então, a liberdade de expressão eh uma maravilha, mas qunado é para mostrar o ponto de vista deles certo? ¬¬
Ótimo trabalho camarada!

Lvx disse...

Kamarada, muito bom o texto, esclareceu bastantes dúvidas minhas.

Danke!

14/88!

David Irving disse...

Precisamos de mais sites assim kamarada! E onde anda o valhalla88.com ?

David Irving disse...

quem é esse bastardo que deixou o primeiro comentário?

[LUTO]Lutze disse...

Os sionistas nao irão poupar esforços para manter tudo isso escrito no blog longe das pessoas bem intencionadas.

Sieg Heil! 88

ronald disse...

excelente trabalho, parabéns!

88!

Der Unter disse...

otimo blog :)

kvera disse...

Alguem tem outro site q diga verdadeiras historias
pq o valhalla foi blok...

Sieg Heil!Kamaradas

justiça disse...

Excelente texto.Mostra de uma forma imparcial a verdade dos fatos.Tenho fé que no futuro tudo sera restaurado e a verdade sobre a segunda guerra com as atrocidades cometidas pelos aliados sera revelada.Os alemaes foram a maior vitima da segunda guerra.O Holocausto é um holoconto de Hollyood.

Anônimo disse...

"O Holocausto é um holoconto de Hollyood."???
Tenho o inicio do texto como algo interessante e que devesse ser relevado. Agora, depreciar o povo judeu em sua origem é algo que foje ao enleio do tema tratado. Demonstra apenas uma espécie de tendencialismo mais irrácional que dialético. Como o texto parece mostrar: o ódio dos judeus sucitou o ódio aos alemães. Mas, agora eu pergunto:
_ Este ódio deve continuar??

Anônimo disse...

* foge
* irracional

Anônimo disse...

a calúnia e a difamação que o povo alemão sofreu nos ultimos 60 anos é algo imperdoável. A completa inversão dos fatos, mentiras criadas para encobrir os verdadeiros culpados por crimes de guerra! Os judeus sabem que ao criar tal mentira, armaram uma bomba relógio, que um dia irá explodir e culminará com o total e aí sim, verdadeiro extermínio dessa raça de víboras!

Anônimo disse...

Que não se da para confiar em Judeus isso todo o mundo sabe!! agora a revelação do acordo de Balfour isso é revoltante!!!
Os ultimos ataques Israelenses a Palestina e a inércia do resto do mundo ao flagelo do povo Palestino comprova o poder e o controle dessa praga em todo o mundo.
Ja esta mais que na hora de uma nova solução!!!
Parabens e por favor isso não é ser anti-semita, pois tenho amigos judeus que são excelentes pessoas.
Mais o mundo não pode mais conviver com o Estado de Israel, sem controle!!!

Anônimo disse...

Sensacional essa revelação, do Benajamin Harrison Freedman de que os verdadeiros ocupantes da Palestina não são judeus, mas Khazares que, espertamente, ocuparam o lugar dos judeus para, usando sua religião, dominar o mundo.
Será que os legítimos judeus sabem que estão sendo enganados por esses usurpadores? ou também acreditam que os judeus da Europa oriental, que criaram o Estado de Israel, são de sua raça? Talvez tenham vantagem em aceitar essa situação.

Anônimo disse...

Nem Jeová gosta de nós, os gentios, ele gosta apenas do seu povo, o povo de Deus, os Hebreus (reinos de Israel e Judá) em resumo, judeus. Gosta tanto que luta ao lado deles, com uma espada flamejante em sua frente, matando os filisteus (hoje palestinos), derrubando seus muros, degolando suas mulheres e crianças, fazendo-os escravos ou expulsando-os de suas terras e de seus lares para colocar neles seus queridinhos.
Observem que disse "luta" e não "lutou", porque esse Jeová até hoje continua liderando os Judeus na matança dos Palestinos, antigos Filisteus.
Será que Jeová não percebeu que aqueles la´, na maioria, não são Judeus, mas os espertos khazares usurpadores. Abra o olho Jeová!

Anônimo disse...

Vocês vieram aqui para beber ou para conversar?
Louvado seja, louvado seja, o alemão que inventou a cerveja!

Anônimo disse...

Alguém me ensina a rezar o Kol Nidre?

Anônimo disse...

Hebreus nunca estiveram no Egito. Existe ainda outra teoria de que os hebreus nunca estiveram no Egito como escravos, mas, tratavam-se de doze bandos de salteadores e assassinos do deserto, cada um com um chefe. O bando chefiado por um bandido muito esperto, chamado Josué, em várias incursões durante saques, convenceu os outros onze bandos a se unirem sob seu comando para coquistarem terras para eles. A história da escravidão no Egito surgiu depois. Sob o comando de Josué, esses assaltantes invadiram a palestina e derrotaram os reis dos pequenos vários reinos que ali existiam e criaram o reino de Israel. A bela história dos antigos patriarcas, da escravidão no Egito e de Moisés surgiu depois por questões políticas e para manter o povo unido.
O fato é que, pensando bem, se Jeová quissesse levar o povo para a Terra Prometida, com seu poder, não precisava fazer todo aquele teatro, bastava, como num passe de mágica, fazê-los todos sumirem e surgirem imediatamente já na Terra Prometida, já cultivada com belos campos e sem nenhum inimigo para enfrentar. A história não tem a mínima lógica, pelo que se vê, de cara, que não é verdadeira.

Anônimo disse...

Nessa outra farsa, a da escravidão no Egito e libertação do povo, existe um detalhe muito significativo.
Para que o povo fosse libertado, era necessária a autorização do faraó.
Moisés tentou de todas as formas conseguir essa autorização.
Ora, para que Jeová precisava da autorização do Faraó para levar o povo para a terra prometida?
Pelo conteúdo da história bíblica, se o Faraó nunca tivesse concordado, não obstante os atrozes sofrimentos que os egípcios estavam esperimentando, os hebreus não sairiam do Egito.
Jeová aguardou a concessão do Faraó, o que causa estranheza, pois, dessa foram , o próprio Jeová estaria submetido às decisões do Faraó.

Anônimo disse...

No texto acima, onde está escrito "dessa foram", leia-se "dessa forma"

Anônimo disse...

É exatamente disso que o texto fala.
Eles insistiram tanto que Hitler foi a "encarnação do tal diabo", que o "povo" acreditou e jamais discutiu.
Gostaria de imaginar uma data, "2250" por exemplo, para que, se houver vida na terra ainda, a HISTÓRIA seja contada da forma como merece.

Ildo disse...

A história é mais ou menos isto aí mesmo. Os Sionista dominam através da propagação de todos os tipos de mídia. Tem judeus que odeiam Sionista. Visitem o www.nkusa.org, lá estarão judeus descendo o sarrafo nos comentários contra Sionistas. Hoje não se pode fazer uma crítica que se é chamado de anti-semita, até o Dr. Norman Finkelstein que é Judeu foi expulso de Israel quando lá foi visitar porque escreveu o livro a Indústria do Holocausto.
Existe algo mais anti-semita?
Hoje o congresso Norte-americano e o Presidente Obama não passam de meros fantoches do AIPAC, que nada mais é o do que uma testa de ferro do Sionismo que atormenta qualquer político que não aprove o sustento de Israel com abastecimento de armas e munições, fora outras regalias que mantém o roubo legalizado das terras Palestinas.
O problema é que pouco a pouco estão aparecendo as verdades, e o porque dos acontecimentos, e muitos inocentes acabam pagando o pato como aconteceu nas duas guerras mundiais.
Em que lamentavelmente acabaram trucidando não somente judeus, mas pessoas de todos os países.
Tem que ser muito idiota para ficar na frente de uma telinha de cinema assistindo as maldades de Nazistas, e não pensar o porque disto. Ninguém apoia matança, mas o que levou ao ódio extremo tem fundamento sim,é sentar, pesquisar e ver os dois lados da história.
Veja o caso do Irã. Tem um videozinho no youtube que Sr. Ahmadinejad tem um encontro com anti-sionistas, leia bem ,anti-sionista de religião judaica, logo não anti-semitas, até porque é impossível.
Claro que a propaganda Sionista poderosa,rapidamente iniciou um contra ataque contra o Irã, e que tem o Aipac através do Senado norte-americano tentado empurrar os EUA a todo custo para uma guerra contra os persas, que se acham no direito de produzir armamento atômico,assim como Israel que tem 200 Ogivas nucleares e dizem que não. Então porque condenaram o Mordechai Vanunu que trabalhava em Dimona?
E se acham que é perseguição leiam a entrevista do ex -presidente Jimmy Carter,ele conta o be a ba.
Então aos meu queridos emotivos amigos que se deixam levar por emoções de filmes em que somente os alemães são os cães, os americanos os bonzinhos, e os judeus as eternas vítimas, abram os olhinhos e é claro não confundam judaísmo com Sionismo.
Um é verdadeiramente religião antiga e séria, o outro um Movimento Racista que através da desgraça do seu próprio povo formaram o Estado de Israel, e puseram os palestinos pra correr.
Tudo tem um preço.Porcure a verdade
pela razão e tentem escutar e ver a verdade.

Anônimo disse...

os judeus sempre viveram as custas dos outros porque sempre foram nomades , basta ver na propria biblia,quando eles tentaram ficar vivendo as custas dos egipicios depois de venderem jose, devemos interpretar as coisas como sao e vermos e a palestina e dos palestinos.

Anônimo disse...

os judeus sempre viveram as custas dos outros porque sempre foram nomades , basta ver na propria biblia,quando eles tentaram ficar vivendo as custas dos egipicios depois de venderem jose, devemos interpretar as coisas como sao e vermos e a palestina e dos palestinos.

Anônimo disse...

Discordar do pensamento dominante é ser anti-semita? Toda história tem dois lados e comecei a achar que havia algo errado nos supostos motivos alemães. Agora faz total sentido o motivo da reação alemã.

Embora batizado cristão, não sigo esta ou aquela crença. Revisem-se, assim, o massacre do cristianismo. Liberdade de expressão está na Constituição Federal. A unanimidade é burra!

Anônimo disse...

Agora me diga que foram os ingleses que afundaram o rms lusitania?
O que foi o Telegrama Zimmermann??
Vou te dar uma dica, seu nazista punheteiro..
Va estudar os Fatos historicos..

Sou judeu e Nordestino. Meu pai ja foi presidente da comunidade judaica de Pernanbuco. E TENHO PRAZER EM TER COMIDO UMA MULHER DE UM NEONAZISTA EM CURITIBA.. Escolhi ela a dedo e sabia quem era e fui ate o shopping onde ela trabalhava..
O problema de vcs e que vcs sao um bando de Pobres, favelados e desempregados. E os judeus brasileiros sao ricos e fazem o bem ajudando os pobres e a unica coisa que vcs fazem e bater em homossexuais.

Eu vou pegar outra mulher de vcs enquanto vcs ficam se reunindo..



http://pt.wikipedia.org/wiki/Telegrama_Zimmermann

Ricardo Emanuel disse...

Olá amigo. É para te agradecer o teu post. Deu-me muito jeito. Digamos que juntou peças soltas na História. Obrigado mesmo.

Quanto a estes comentários: temos mesmo uma vida muito triste. Vejo muitas redomas iguais a quererem mostrar que são diferentes só porque têm definições opostas.

Acima de tudo; uma interpretação errónea do discurso. (ou talvez nem sequer o tenham lido todo; ou talvez nem saibam de quem é o discurso e pensam que é do administrador do Blog)

Tanto faz!

Grande Abraço Amigo.

Klaus disse...

Maravilhoso artigo, muito obrigado, a internet e trabalhos como este me deram uma nova visão do mundo mentiroso em que vivemos!

Anônimo disse...

Sou Cristão! Não tenho religião!

Tenho pleno conhecimento de que o Sionismo hoje não representa o verdadeiro povo de Israel assim como sei as manobras deles para um Governo Mundial que já está sendo posto em prática.

Sei também que o Ato1 2 e em breve o 3 são para cumprir o intento de assumir as terras de Judá e Israel dadas por Deus ao seu povo escolhido.

Mas há uma grande certeza de esperança. Embora seja aos olhos de Deus importante que cumpram seu intento (apocalipse 17-17) e assim será feito porquê é a Palavra de Deus e essa nunca foi impedida ou não cumprida, não terão êxito. Seu sucesso será apenas para levar muitos a perdição como vem fazendo.

Mas isso acabará com TODOS estipardos e um novo mundo sem essa corja no que podem chamar de 4a Guerra Mundial ou 1a e última Guerra universal com a vitória do Rei justo e verdadeiro.

Então tudo que ficou e está em oculto será revelado para assombro dos homens. Embora Hitler e o nazismo tenha tido um papel destrutivo para humanidade, assim como esse poderio econômico que controla o mundo e dirige seus caminhos para o engano, é importante lembrar que há verdadeiros israelitas no mundo e que estes entenderão tudo isso em breve.

Esses mesmos canalhas hoje possuem muito mais poder que antes. Seus planos caminham em conjunto com Roma e as determinações de Uma Ordem Mundial que já está sendo implantada.

Tempos muito difíceis estão sendo agendados para breve e provavelmente farão tudo isso muito pequeno perto do que tem como intento.

Mas por pertencer ao Reino do vencedor, levo mensagem de esperança pois Jesus Cristo venceu o mundo e voltará para assumir seu Reino e estabelecer a paz para sempre.

Não sou religioso e abomino qualquer religião. São elas o braço da política de domínio que há séculos vem condicionando pessoas a ficarem na escuridão e apoiando suas mentiras.

Sem essa loucura de religião, recomendo conhecer a Bíblia e entendê-la de duas formas: A primeira é que ela é um livro histórico real e literal. A segunda é um livro profético que descreve com riqueza de detalhes tudo que ocorreu, ocorre e ocorrerá sem erros. Mas é necessário compreender a complexidade de suas estruturas.

Tudo o que ocorreu nessas abomináveis "jogadas" de poder e controle, estão descritas de forma bem explicita nela. Assim como hoje está em cumprimento duas que são consideradas ponto de partida para uma possível 3a Guerra - Isaias 17 sobre o fim de Damasco e Obadias sobre a casa de Esaú (atual Palestina). Então se cumprirá Ezequiel 38-39 que descreve como se dará a 3a Guerra Mundial.

Aos que não acreditam nisso peço uma única coisa. Leiam, anotem sem qualquer envolvimento religioso. Apenas para conhecimento. E se virem essas coisas se cumprindo, então saberei a verdade. E a verdade os libertará por que se interessarão pelo que virá a seguir.

Emanuel A -

Anônimo disse...

Esse depoimento se assim podemos chamar é um ato de ludibriar as mentes e incitar todos contra os judeus.os EUA como sempre mata por dinheiro e poder e nunca são punidos,concluímos que Israel e a Palestina são alvo para seus inimigos que o querem e não medem esforços para conseguilo

Anônimo disse...

É realmente muito estranho a aliança tão firme que Israel tem o USA, com os japoneses, coreanos, chineses, indianos, derrotando a supremacia comercial e tecnológica dos USA eles só se preocupem com a Siria, Iran, não faz muito sentido mesmo, Ben Bernanke, um judeu como chefe do FED, George Soros, outro Judeu que criou nos bastidores a crise de 2008 que levou a Europa para falência, os hebreus tem muita influencia de bastidores nos USA, sem dizer que Mark Zuckerberg(FACEBOOK) outro judeu, Sergei Bryn(Google), Intel(Andy Grove), tentam controlar a internet, assim como a Coréia do Norte é um estado que serve aos interesses Sionistas já que fornece armas nucleares para Siria, Iran, Venezuela, e já estamos próximos da ww3, infelizmente...

Anônimo disse...

É importante ressaltar o conhecimento dos fatos de que os judeus ou Cazares são sim a destruição da humanidade! Porém, vale lembrar que toda fé tem sua bondade, porém, cabe a seus seguidores segui-las ou serão meras utopias.